Buscando a notícia para você desde 2007 - Ano 10 - 2017 -

Café da manhã - 20/09/2017 - "Ele acham que a verdade está atrás do que assistem, mas a realidade é outra"

Bom dia amigos de todas as idades. Hoje quero falar dos jovens que são influenciados pela mídia - escrita/video/falada. Estudo feito pelo Instituto de Soluções de Internet, nos EUA, e publicado na revista Pediatrics aponta que aqueles que navegam por sites com conteúdo influenciador têm mais tendência de adotar esse tipo de perfil influenciando a forma do jovem pensar ou indo contra o que seus pais mostravam que é o certo. 
Foi analisada a relação da mídia e comportamentos (como atirar em alguém, por exemplo, ou fazer o que vc quiser fazer) em quase 1.600 adolescentes. A cada site  visitado, o risco aumentava em 50%. Aqueles que admitiram acessar páginas em que pessoas mostram, conteúdos, realidades que não condiz verdadeiramente com o que mostram, são cinco vezes mais propensos a desenvolver essa postura, mesmo que o apresentador do video mostre uma historia enganosa.

Para Carolina Nikaedo, programas de TV, internet e jogos de videogame têm parcela de culpa nesse contexto, porém não podem ser apontados como únicos responsáveis. "Eles influenciam a maneira como o jovem encara essas atitudes, mas não determinam que eles se tornem, como um fenômeno isolado", completa.





A cada dia os jovens buscam mais a liberdade, especialmente dentro de casa. Os pais querem passar a imagem de "modernos", estão cada vez mais liberais. Isso não quer dizer que a atitude seja de todo errada, apenas que é preciso dosar o quanto de autonomia se deve dar aos adolescentes.

Os recentes programas televisivos criados pelas emissoras de televisão brasileira, ou videos, nos Youtubes da vida, incentivam a involução cultural e comportamental dos jovens, onde a TV ao invés de informar o que é, passa a dizer como devem ser feitas as coisas, normalmente em ficções, influenciando os jovens inocentes.
Ao mesmo tempo que se mostra um brasileiro que venceu na vida de forma honesta e com muitas dificuldades, nunca deixam de lembrar que ser modelo, jogador de futebol ou um traficante é mais fácil e financeiramente mais rentável. 

Esta influência está também fundamentada na constante priorização pela TV do corpo, sua perfeição e na necessidade de ser perfeito fisicamente e ter uma virilidade incontestável. Comportamento este encontrado em crianças que, mesmo aparentando uma certa inocência, não vislumbram outra coisa a não ser dinheiro e fama, moda e luxo, violência, sensualidade e sexualidade. 





Chegamos a um ponto em que o pudor feminino começa a ser substituído pelo frenético, incontrolável e ilimitado assédio masculino, que sonha com seios e bumbuns milimetricamente perfeitos. Essas influencias fazem o jovem ter medo, e buscar grupos contrários, do que está acostumado, para se sentir mais seguro. E assim, o jovem inocente, é influenciados pelos outros para que seja igual a ele e ele não seja o único a ser diferente.

É o processo em que a mídia, em geral, dita o que deve ser assistido, oprimindo a personalidade e a liberdade de escolha dos jovens inocentes.

Isso resulta como uma espécie de motor que rege a mente dos jovens, vítimas de uma programação, vislumbrando criar um novo estereotipo, e mostrando que enfrentar a sociedade e fácil e que ser diferente e saudável. Esta revolta de escolha pode ser facilmente constatada se levarmos em conta que a grande maioria dos lares brasileiros têm internet e muito TV a cabo, deixando a "mercê" muitos jovens fraços de cabeça.
Assistimos novelas que se estruturam numa produção semelhante à mexicana e que transformam a traição em exercício diário e a raiva de um ser por outro num toque sedutor, e cada dia mais, liberdade marginal e liberdade sexual/homosexual, mostrando que tudo e fácil, que na realidade não é. Eles alegam que isso dará mais audiência. Isso não é a realidade, pois novelas de cunho religioso, no canal do pastor, tem tanta audiência que a emissora platinada, as vezes, essa audiência, é maquiada para não mostrar que a concorrente tem mais telespectadores.
Podemos citar como exemplo a Rede Vida, Canal Futura, Globo News e TV Escola, programas que têm servido como orientadores de professores e instituições, com grande massa assistindo e influenciam culturalmente sem fazer apologia a trafico e sem mostrar a liberdade sexual influenciando os jovens inocentes.
O fenômeno individualizado da influencia que a mídia exerce na felicidade dos jovens, através da ideia de que ser traficante ou travesti famoso é fácil. A realidade da vida é diferente. Coloque os "peitos" na vida para ver se é fácil como as novelas mostram. Elas enganam, dizendo que estão mostrando a realidade. a realidade é outra . 




Mesmo com tantos adolescentes candidatos ao sofrimento, convencidos de que tudo é fácil, e que a mudança vai trazer a felicidade, quero mostrar que, é fácil ser feliz de outras maneiras, com consciência de definir o que é suficiente para desfrutar simples momentos da vida. Não nos referimos ao simples conformismo, mas sim à simplicidade, é fácil ser feliz, basta buscar o possível e não deixar ser influenciado ou alienado pelos sonhos dos outros. 
A mídia incute uma mensagem de que o famoso, bem sucedido ou aquele Youtuber, é o bem feliz, bem bonito, bem dotado e bem afortunado, mas muitas vezes é bem mal informado, pois uma mensagem de mídia nem sempre expressa a realidade.


Pense antes de fazer alguma coisa na sua vida para não se arrepender no futuro.

Bom dia amigos

Ariel Villanova