Buscando a notícia para você desde 2007 - Região dos Lagos - Ano 2017 -

Conhecimento no café da manhã. O que se comemora e o que é lembrado em 28/8/2015


Hoje é :

*Dia Nacional do Voluntariado
*Dia do Bancário
*Dia do Avicultor
*Dia do Filósofo

Significado abaixo:

TÚNEL DO TEMPO DESSE DIA 28 DE AGOSTO


"Nesse dia era aprovado pela Câmara dos Deputados o processo de impeachment de Fernando Collor"

CONFIRA MAIS DETALHES EM - TÚNEL DO TEMPO DA NOTÍCIA

Dia do Avicultor


A avicultura é a criação de aves para produção de alimentos, notadamente a carne e ovos.

Dentre as espécies criadas na avicultura destaca-se o frango. Em muito menor escala, também são criadas aves como patos, gansos, codornas, marrecos e até avestruzes.

A avicultura no Brasil

Dentro do complexo brasileiro de carnes, a avicultura é considerada por muitos como a atividade mais dinâmica. O desenvolvimento dessa atividade ocorreu a partir do final da década de 1950, nos estados da Região Sudeste, principalmente em São Paulo. As primeiras matrizes foram importadas e desembarcaram no extinto Estado da Guanabara, em seguinda, na ordem Rio de Janeiro, São Paulo e em um segundo momento Santa Catarina.

Na década de 1970, período em que houve profunda reorganização do complexo de carnes no Brasil, a atividade passou a ser liderada pelos estados de Santa Catarina e Mato Grosso, devido a proximidade e como consequencia o custo mais baixo dos grãos de milho e soja, principais insumos para a produção de frangos vivos.

Exportar tem sido uma prioridade para o setor que, em 2001, ultrapassou a barreira do bilhão de dólares com as exportações.

No mercado consumidor interno, o brasileiro tem mudado seu hábito de consumo de carnes, passando de um país preponderantemente consumidor de carne bovina para consumidor da carne de frango. A qualidade, a imagem de produto saudável e os preços acessíveis auxiliaram na conquista dessa posição. O aumento do consumo per capita demonstra essa mudança de hábito.

Desde o inicio da produção de frangos de corte no Brasil, a cadeia produtiva do produto modernizou-se, devido à necessidade de redução de custos e aumento de produtividade, tentando com isso não perder competitividade em nível mundial.

Como consequência, tem sido uma das mais organizadas do mundo, destacando-se das demais criações pelos resultados alcançados não só em produtividade e volume de abate, como também no desempenho econômico, onde têm contribuído de forma significativa para a economia do Brasil.

Outro fator favorável à criação de frango no Brasil é a alta produção interna de grãos como o milho, que servem de alimento para o plantel. A atuação da Embrapa em pesquisas de melhoramento genético e na instrução de produtores também é bastante relevante.

Em muitos países do Oriente Médio, o consumo de carne congelada de frango está fortemente associado à exploração desse mercado por empresas brasileiras. Em países como a Arábia Saudita e Israel, utilizam a palavra "Sadia" (marca da maior produtora de frangos congelados do Brasil) para designar frango congelado.

Além da Sadia, destacam-se internacionalmente marcas como Perdigão e Seara. Em 2006 teve início uma forte onda de aquisições de empresas menores por outras maiores do mesmo ramo. Em 2009 as duas maiores empresas do país Sadia e Perdigão fizeram uma fusão o que originou a Brasil Foods. Apesar das compras e fusões, a Avicultura no Brasil possui particularidades regionais e grande fragmentação de sua produção que conta com aproximadamente 350 abatedouros espalhados por todo o país, sendo que 81% do volume produzido para o mercado externo e interno se concentra em 50 abatedouros.

A avicultura no Mundo

A avicultura é uma atividade econômica cada vez mais relevante mundialmente. De acordo com o USDA, os principais exportadores de frango são o Brasil (3.040.000 toneladas), os Estados Unidos (com 2.538.000 toneladas por ano), a União Européia (780.000 toneladas), a Tailândia (400.000 toneladas) e a China (360.000 toneladas).

O Brasil se tornou o maior exportador de aves em 2004

Fonte: www.nutrigranja.com.br
r


Dia Nacional do Voluntariado


Lei Nº 7.352, 28/08/1985

A satisfação de fazer algum tipo de trabalho voluntário é realmente gratificante. Hoje, uma verdadeira "onda" de pessoas estão descobrindo o caminho "do fazer o bem sem olhar a quem".

O valioso trabalho do voluntariado já está infiltrado em vários setores. Isto mostra como é importante ser solidário com o próximo; pois pessoas não só no Brasil, como também no mundo inteiro estão sendo ajudadas pôr voluntários que tiram parte de seu tempo para trabalhar sem ganhar nada em troca.

A Organização das Nações Unidas (ONU), elegeu o dia 5 de dezembro como o DIA INTERNACIONAL DO VOLUNTÁRIO.

No Brasil, o Presidente José Sarney assinou a LEI Nº 7.352, de 28 de Agosto de 1985, que institui o Dia Nacional do Voluntariado; o qual é comemorado no mesmo dia e mês de sua publicação.

A idéia de que só os padres, irmãs de caridade e médicos faziam trabalho voluntário já acabou.

Pessoas estão ajudando uma as outras com competência em todas as partes do globo. Hoje em dia, famílias inteiras estão envolvidas em trabalhos voluntários.

Pais que foram voluntários no passado já desenvolveram o "espírito solidário" nos filhos, dando continuidade ao movimento e tornando-o cada vez mais forte e atuante.

Caso você tenha a oportunidade de fazer algum trabalho voluntário para alguém ou alguma entidade que precise de sua ajuda, não deixe de aproveitar essa chance. Depois de um dia de trabalho voluntário, quando você for dormir, até o sono é mais gostoso. Aproveite!



Fonte: Sociedade de Assistência aos Cegos



Dia do Bancário


Lei Nº 4.368, 23/07/1964

Os trabalhadores bancários, no dia 28 de agosto, comemoram o seu dia.

Em 1951, os bancários brasileiros decidiram inovar na luta por reivindicações salariais e por melhores condições de trabalho. A mobilização da categoria seria unificada nacionalmente. As principais reivindicações pediam reajuste de 40%, salário mínimo profissional e adicional por tempo de serviço. As sucessivas tentativas de negociação fracassaram. Os bancários recusaram o dissídio coletivo e, em São Paulo, realizaram paralisações simbólicas de minutos, dos dias 12 de julho a 2 de agosto. Os banqueiros acenaram com um reajuste em torno de 20%, mas os bancários de São Paulo mantiveram sua reivindicação.

No dia 28 de agosto de 1951, uma assembléia histórica no Sindicato dos Bancários, contando com a presença de 28% da categoria, decidiu ir à greve para conseguir seus direitos. A greve foi deflagrada e logo duramente reprimida. O DOPS prendia e espancava os grevistas. Em todo o Brasil a manipulação da imprensa levou os bancários de volta ao trabalho, mas a categoria em São Paulo resistiu e, em conseqüência, a repressão aumentou. Somente após 69 dias de paralisação, a categoria arrancou 31% de reajuste. Após o término da paralisação a repressão foi ainda mais acentuada. Centenas de bancários foram demitidos e as comissões por bancos foram desmanteladas pelos banqueiros. Mas, como resultado mais positivo, a greve de 1951 colocou em xeque a lei de greve do governo Dutra e provocou, também, a criação do Dieese em 1955.

Isto não significa que a organização do movimento de bancários tenha apenas 50 anos. Não! Suas lutas começaram muito antes. E, como em 1951, a categoria repetiu em outros anos manifestações semelhantes, que garantiram conquistas hoje incorporadas a sua vida laboral. É o caso da jornada de 6 horas, do fim do trabalho aos sábados, da convenção coletiva nacional, do tíquete-refeição, do tíquete-alimentação, da participação nos lucros e resultados, além de outros direitos duramente conquistados.

Hoje, os bancários precisam mais uma vez inovar nas respostas aos constantes ataques de que são alvo. Com a queda nas taxas inflacionárias, o estreitamento da margem de negociação e a diversificação do mercado financeiro após o Plano Real, novas táticas de convencimento, mobilização e luta precisam ser adotadas, principalmente na discussão dos índices de recomposição salarial. Mas esse novo modo de encarar a campanha não se resume, pura e simplesmente, às necessidades salariais da categoria.

O movimento sindical não soube acompanhar a extraordinária transformação por que passou e passa o Sistema Financeiro Nacional. Existe uma série de medidas que vêm transformando os métodos de trabalho e a forma como o empregado se relaciona com a empresa, com os clientes e com seus próprios colegas.



Fonte: UFGNet


Dia do Filósofo


A origem da Filosofia

FILOSOFIA: vem do grego


Philo / Philia = amizade, amor fraterno

Sophia = sabedoria
O que é Filosofia

FILOSOFIA


Amizade pela sabedoria

Amor e respeito pelo saber

Indica um estado de espírito


Pessoa que ama, deseja o conhecimento

FILÓSOFO


Aquele que ama a sabedoria

Tem amizade pelo saber

Deseja saber
O nascimento da Filosofia

Pitágoras = filósofo grego (séc.V a.C.)


Responsável pela invenção da palavra “Filosofia”

Sabedoria plena e completa pertence aos deuses

Homens podem desejá-la ou amá-la, tornando-se filósofos.
O Filósofo


Não é movido por interesses comerciais ou financeiros

Não coloca o saber como propriedade sua

Não é movido pelo desejo de competir

Não faz das idéias e dos conhecimentos uma habilidade para vencer competidores;


É movido pelo desejo de observar, contemplar, julgar e avaliar a vida

É movido pelo desejo de saber.
A Verdade


Não pertence a ninguém

Não é um prêmio conquistado por competição

Está diante de todos nós

É algo a ser procurado

É encontrada por todos aqueles que a desejarem, que tiverem olhos para vê-la e coragem para buscá-la.
O surgimento da Filosofia
Gregos

Começaram a fazer perguntas e buscar respostas para a realidade

O Mundo, Natureza e Ser humano: Podem ser conhecidos pela razão humana.

Pensadores gregos:


Verdade do mundo e dos humanos não era algo secreto e misterioso

Verdade podia ser conhecida por todos por meio das operações mentais de raciocínio

Linguagem respeita as exigências do pensamento

Conhecimentos verdadeiros podem ser transmitidos e ensinados a todos.
Características


Tendência à racionalidade

Recusa de explicações preestabelecidas

Tendência à argumentação

Capacidade de generalização

Capacidade de diferenciação = análise
Legado filosófico grego


Conhecimento = leis e princípios universais

Verdade = provas ou argumentos racionais

Conhecimento não se impõe aos outros

Conhecimento deve ser compreendido por todos

Capacidade de pensar e conhecer é a mesma em todos os seres humanos

Conhecimento só é verdadeiro quando explica racionalmente seus objetos


Natureza segue uma ordem necessária

Opera obedecendo a leis e princípios necessários e universais

Essas leis podem ser plenamente conhecidas pelo nosso pensamento.



Surgimento da cosmologia

Surgimento da física


A razão (ou o nosso pensamento) também opera obedecendo a princípios, leis, regras e normas universais e necessários.


Podemos distinguir o que é verdadeiro do falso

Razão obedece à lei da identidade, da diferença, da contradição e da alternativa


O agir humano exprime a conduta de um ser racional dotado de vontade e de liberdade



As práticas humanas não se realizam por imposições misteriosas e incompreensíveis (forças secretas, invisíveis, divinas e impossíveis de serem conhecidas)

Seres humanos naturalmente aspiram:


Ao conhecimento verdadeiro (pois são seres racionais)

À justiça (pois são seres dotados de vontade livre)

À felicidade (pois são seres dotados de emoções e desejos)

Os seres humanos instituem valores pelos quais dão sentido às suas vidas e às suas ações.

Cristiani Kobayashi

Fonte: aufklarungsofia.pbworks.com




Fonte geral de pesquisa : Portal São Francisco